Ideias que vale a pena roubar #2: partilhar comida com os vizinhos e fazer uns trocos

Um dia há uns meses atrás,  Marieke Hart, uma vizinha aqui de Utrecht,  estava no seu jardim, quando das traseiras de sua casa, sentiu um cheirinho a pairar no ar. Era mais uma vez os cozinhados da sua vizinha, que enchiam o ar com uma apetitosa fragrância de comida caseira acabada de fazer. Marieke e o marido, encheram-se de coragem, e bateram à porta da sua vizinha e disseram-lhe que o cheiro era tão delicioso que um dia gostariam de experimentar os seus cozinhados. A vizinha, em vez que reagir com estranheza, ficou tão feliz com o elogio, que no dia seguinte lhes preparou uma sopa de abóbora.

Foi este o primeiro passo necessário para o nascimento da plataforma online de partilha de refeições entre vizinhos Shareyourmeal.net, que já se espalhou por toda a Holanda. Hoje são 40.000 as pessoas registadas na plataforma, como cozinheiros e como foodies, e 400 pessoas que diariamente entram na cozinha de um vizinho para partilhar uma refeição a um baixo custo.

Plataforma "Share your Meal"

Plataforma “Share your Meal”

E hoje fizemos parte desse número e entrámos porta a dentro da cozinha de uma vizinha aqui do bairro.

Para isso bastou ontem entrarmos na plataforma para fazer o registo, e uns breves minutos depois, descobrir uns 5 cozinheiros a menos de 500 metros de distância dispostos a partilhar as suas refeições com os seus vizinhos! Escolhemos então um deles baseado nos pratos que apresentavam na sua página, nos comentários e no preço. Depois foi só fazer o pedido,  escolher a data e a hora que gostaríamos de recolher o cozinhado e passar lá por casa de marmita na mão.

Há pouco lá passamos por casa da nossa vizinha para levantar o nosso pedido: duas doses de tajines vegetarinas,  deliciosas por sinal, que no total nos custaram 10 euros e ainda darão para outra refeição.

IMG_2255[1]

As vantagens desta plataforma? Para mim são muitas: não precisar de cozinhar (de vez em quando sabe bem), refeições caseiras a baixo custo, eliminar o desperdício (simplesmente às vezes é mais eficiente cozinhar para mais pessoas), fazer algum dinheiro e conhecer os vizinhos!

E é aqui, que esta ideia tem o poder transformativo de tornar comunidades alheadas e desconhecidas, em redes de partilha e cooperação. E pode começar com comida, mas estender-se a um sem fim de outros bens ou serviços.  E para nós, estrangeiros no nosso próprio bairro, partilhar uma refeição com alguém daqui parece ter um significado ainda maior, porque acaba por ser uma forma de integração.  O próximo passo será tentarmos ser também cozinheiros!

No entanto a grande desvantagem, é que os pedidos têm que ser submetidos pelo menos 24 horas antes da hora pretendida de entrega e aprovados, ou seja, ao fazer um pedido não é garantido que o cozinheiro esteja disponível. O que faz todo o sentido, até porque não se tratam de cozinheiros profissionais, apenas pessoas que querem partilhar o prazer de cozinhar e receber uns trocos.

Mesmo assim, eu estou completamente rendida a esta ideia e acho que faria muito sucesso em Portugal! Desse lado alguém já experimentou partilhar comida com os vizinhos?

Para quem quiser saber mais, pode ver este video do Tedx com a fundadora da Share Your Meal:

E boas partilhas!

Há mais no facebook: https://www.facebook.com/EspressoAndStroopwafel

Anúncios

4 comentários

  1. Gostei muito desta ideia!

  2. […] semana passada encomendei um pão sem glúten à minha vizinha. Isto foi feito através da plataforma holandesa de partilha de refeições que falei aqui no blog! Ia entusiasmada até a casa da minha vizinha para levantar a minha encomenda com um nervoso […]

  3. […] fundo é mais um passo em frente na economia de partilha (outro exemplo é a plataforma Holandesa de partilha de refeições que também já falei aqui no blog), e as possibilidades são quase ilimitadas. Só é preciso alguma […]

  4. uau, nunca tinha ouvido falar sobre isto! Faz lembrar os take away em portugal mas com coisas variadas, visto que os pratos podem ser muito diferentes! Gostei da ideia!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Amsterdive

Amsterdam based actress hosts you into her personal amster-dive

Anas há muitas

Mãe, mas Mulher. Aqui escrevo sobre a fantástica experiência da maternidade, os meus cozinhados, os textos da minha autoria, e a minha área de formação – saúde.

THE GIRL WITH SILVER HAIR

THE GIRL WITH SILVER HAIR

agora digo eu

Porque às vezes me apetece dizer com os dedos para que me ouçam com os olhos!

Diário de Prato

Compartilhando o que eu ando fazendo e comendo de gostoso por aqui.

A Limonada da Vida

Uma Portuguesa na Holanda

almanaque silva

histórias da ilustração portuguesa

Marianne Beerten

Onroerend goed en Geiten in Portugal

Contador D'Estórias

Narrativas, poemas, músicas, um blog com estórias dentro.

Desbravando Madrid

Curiosidades e dicas sobre a cidade de Madrid

Life's Textures

Notes and tips about (my) life

By Catarina

Writing With a Global Mindset

laplandalltheway

Adventures of a Portuguese girl in Lapland

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

The Frustrated Gardener

The life and loves of a time-poor plantsman

Heidiland

Uma Portuguesa na Holanda

The Kitchen Crashers

Seda ve Hakan’ın Mutfak, Seyahat ve Fotoğraf Maceraları…

%d bloggers like this: