Aprender a andar de bicicleta com Sunshine

Notícias de última hora: Portuguesa nos 20 e muitos anos aprende a andar de bicicleta este fim-de-semana na Holanda. Percorreu uns 5 km até um castelo no meio de um bosque Holandês, quando se apercebeu que realmente estava a deslizar com o cabelo ao vento e já sabia andar de bicicleta. E só ia provocando 1 acidente!

Para quem não tem tempo para ler mais, este é o headline mais importante do meu fim-de-semana passado. Foi o fim oficial de uma grande falha na minha educação até então, que era não saber andar de bicicleta. Nunca fiz a transição das rodinhas. Era uma falha grande que me começou a martelar o espírito quando decidi vir viver para a Holanda. Afinal, nunca tinha visto tantas bicicletas juntas por metro quadrado como aqui. E é mesmo um meio de transporte muito útil, especialmente quando não há altos e baixos, e tudo é plano. Poupa-se em autocarros e em solas de sapato, é amigo do ambiente, e aqui é cool que se farta, até as velhotas deslizam com uma elegância de fazer inveja.

Também há a questão da hierarquia. Em primeiro lugar da cadeia alimentar dos meios de deslocação está sem dúvida a bicicleta, depois os transportes públicos, depois os automobilistas e depois os peões. A bicicleta domina a cena das prioridades, e se eventualmente, algum condutor tem o azar de dar um toque a um ciclista, o automobilista está feito ao bife.

Dito isto, precisava de uma bicicleta, e arranjei uma belezura de meio de transporte:

IMG_0419[1]

Chama-se Sunshine porque tem um autocolante com flores e o mesmo nome, é em segunda mão (talvez terceira ou quarta), toda verdinha, é baixinha e chego com os pés ao chão, tem um travão à frente, mas trava também com as rodas. Estava guardada até o dia de ontem, porque aprender a andar de bicicleta com neve e gelo é parvo e potencialmente perigoso não só para mim mas para uma quantidade de outros seres humanos que se deslocam aqui de bicicleta, especialmente aqueles que transportam bebés amorosos de 6 meses ou menos, e que não têm culpa das minhas lacunas educacionais.

Ontem, lá apareceu um sol radiante e decidimos dar uma volta na rua, só mesmo para treinar. Mais ou menos passado uma meia hora, demos por nós em frente a estas indicações:

IMG_0442[1]

Tínhamos ido um bocadinho mais além do que a nossa rua! E obviamente que não era possível para nós simplesmente voltar para trás e não virar à esquerda. Estava ali um monumento antigo a convidar-nos a conhecê-lo. E nós aceitámos: Oud Amelisweerd aí vamos nós! Obviamente que não sabíamos absolutamente nada do que íamos encontrar. Pensávamos que íamos ver uma fortificação e depois voltar para trás.

Rapidamente percebemos que Oud Amelisweerd é bastante mais e maior do que uma fortificação.

Descobri hoje que é uma grande propriedade histórica cujas origens datam do século XII, que conjuntamente com as casas e fortificações que a compõem são monumentos nacionais. É um espaço único, com uma fauna e flora muito rica e protegida. Hoje em dia, esta área tem cerca de 1,5 milhões de visitantes anualmente, e é a área verde mais visitada de Utrecht.

No fundo, quando chegámos lá, foi mais ou menos isto que pudemos ver:

IMG_0429[1]

IMG_0426[1]

IMG_0439[1]

Paisagens lindíssimas, numa propriedade que nunca mais acaba cheia cheia de graúdos e mais pequenos, a caminhar, a andar de bicicleta e a gozar a natureza.

De uma volta de bicicleta na nossa rua, até duas horas a pedalar por trilhos, sem agasalhos de maior e sem carteiras decidimos voltar para casa depois de um já grande passeio pelo bosque. O mais doloroso foi ter encontrado no caminho de retorno esta casa de panquecas no meio do bosque, sem carteiras e sem dinheiro para uma panqueca:

IMG_0440[1]

Talvez doloroso por um lado, mas positivo no sentido em que ficou a vontade intensa de voltar ao bosque e à casa de panquecas, preparados para uma visita a sério!

E assim é a história do dia em que aprendi oficialmente andar de bicicleta. Mas ainda me falta dominar as curvas e os travões, por isso outras histórias virão!

Anúncios

10 comentários

  1. Tens que levantar mais o acento :)

  2. upss…assento ;)

  3. :D Orgulho!!!!!!! E vais aprender que andar de bicicleta é a melhor coisa do mundo :D

  4. Pois é tenho que levantar o assento, mas só depois de dominar as curvas e os travões :) agora ainda é bom levar os pés ao chão!

  5. Ainda tenho o meu banco baixinho e já lá vai 1 ano :D

  6. […] de aprender a andar de bicicleta há uns meses atrás, esta semana revelou-se bastante frutífera em aprendizagem […]

  7. fico contente de saber que há gente com um forte olhar e sensibilidade para análize e uma maneira até bastante engraçada de expor as suas experiências nesse lindo país que é holanda, e que tantas saudades tenho. tinha eu na altura 25 anos,corria o ano 1989 quando fui viver para Ijmuiden, perto de Harlem, md por lá fiquei 3 longos,lindos anos. muito tinha para contar dessa época, ficará para uma próxima. divirta-se nele lindo,país, que tanto tem para descobrir.

    1. Obrigada César! comentários destes fazem valer o dia :) em 89 a Holanda devia estar diferente, mas acredito que ha coisas se mantém ao longo do tempo (a mania das bicicletas deve ser uma delas!)

      1. certeza que o é, razão que me levou a escolher o temada bicicleta em holanda, é eu ainda hoje andar quase todos os dias de bike, e tenho dias de fazer 70km por dia, pois faço cicloturismo, estando agora a preparar uma viagem de 400 km talvez ainda và matar saudades a minha querida e linda holanda, e em especial a ijmuiden.

  8. […] e se o tempo permitir vou fazer o percurso de 35km (obviamente escolhi o percurso mais pequenino, não tivesse eu aprendido a andar de bicicleta apenas há dois anos). A adesão foi grande e as inscrições já estão completas, por isso foi uma sorte ter […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Amsterdive

Amsterdam based actress hosts you into her own amster-dive

Anas há muitas

Mãe, mas Mulher. Aqui escrevo sobre a fantástica experiência da maternidade, os meus cozinhados, os textos da minha autoria, e a minha área de formação – saúde.

THE GIRL WITH SILVER HAIR

THE GIRL WITH SILVER HAIR

agora digo eu

Porque às vezes me apetece dizer com os dedos para que me ouçam com os olhos!

Diário de Prato

Compartilhando o que eu ando fazendo e comendo de gostoso por aqui.

A Limonada da Vida

Uma Portuguesa na Holanda

almanaque silva

histórias da ilustração portuguesa

Marianne Beerten

Onroerend goed en Geiten in Portugal

Contador D'Estórias

Narrativas, poemas, músicas, um blog com estórias dentro.

Desbravando Madrid

Curiosidades e dicas sobre a cidade de Madrid

Life's Textures

Notes and tips about (my) life

By Catarina

Writing With a Global Mindset

laplandalltheway

Adventures of a Portuguese girl in Lapland

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

The Frustrated Gardener

The life and loves of a time-poor plantsman

Heidiland

Uma Portuguesa na Holanda

The Kitchen Crashers

Seda ve Hakan’ın Mutfak, Seyahat ve Fotoğraf Maceraları…

%d bloggers like this: