Aderir à Horta Comunitária – Sim, Não, Talvez?

No fim-de-semana passado fomos visitar a Horta Comunitária do nosso bairro, convidados por um casal que lá tem um espacinho dedicado à sua jardinagem de vegetais. Levaram os 2 miúdos e tudo, porque gostam que eles estejam expostos ao processo de cultivo, à terra e que saibam desde pequenos de onde vêm os alimentos. Se eu própria já não tivesse habituada às andanças das hortas por influência familiar, diria que teria sido uma espectacular experiência educacional ter ido lá, mesmo com a horta praticamente vazia pela neve dos dias de Inverno.

No fundo a experiência de visitar a horta, relembrou-me que ter um espacinho de terra para cultivar o quer que seja é um grande privilégio: comemos melhor, somos mais auto-suficientes e aprende-se uma carrada de coisas importantes sobre agricultura e sustentabilidade. Para não falar que no caso das hortas comunitárias nos aproximamos da comunidade e existe uma maior integração e partilha, pelo menos com os vizinhos do pedaço de terra ao nosso lado.

IMG_0450[1]

Sabendo isto, assola-me a dúvida: “porque é não me dediquei a aprender umas coisinhas sobre cultivo quando estava em Portugal?” Falta de tempo, falta de vontade ou falta de sensibilidade? Talvez um pouco dos três! Mas agora, penso que seria absolutamente genial ter um pedacinho de terra na Horta Comunitária.

O espaço em si não é maravilhoso, não encanta pela beleza e não é propriamente ordenado. Diria até que existem hortas à beira do Eixo Norte Sul com melhor aspecto que esta. No entanto, tem um certo charme, na entrada do espaço há uma bonita placa Art Deco dos anos 20 produzida aqui em Utrecht, está relativamente afastada da estrada e consigo imaginar que se possa encontrar algum silêncio e paz ali no meio. Para aderir à Horta Comunitária basta enviar um email de inscrição e esperar que haja um espaço disponível que nos agrade. Depois pagam-se cerca de 80€ ano, que incluem não só a própria utilização do espaço, mas também a sua manutenção e a água que é utilizada.

IMG_0451[1]

No entanto, para a ideia de ter um espaço na Horta Comunitária ser um sucesso, faltam duas coisas muito importantes – tempo e conhecimento. O tempo arranja-se, ou talvez não. O conhecimento também se arranja, mas não é imediato. As condições climatéricas são muito diferentes das de Portugal e assim serão também os produtos que podemos cultivar e as fases do ano para cultivo, etc.

Assim, estou numa encruzilhada – aderir à Horta Comunitária? Sim, Não, Talvez?

A resposta que encontrámos foi: Talvez! No fundo, se conseguir ter os básicos da culinária – salsa, coentros, hortelã, tomate cherry, e outros produtos daqui – na minha varanda vivos e sadios por algum tempo, talvez, e depois de algum estudo adicional, nos aventuremos na horta comunitária! Senão, chumbamos no teste, e voltamos a repetir até que sejamos responsáveis cuidadores de plantas e vegetais! Agora é só marchar até um sitio onde se vendam coisas de jardinagem e lá começamos nós!

Anúncios

4 comentários

  1. Cá em Castro tbm existem as hortas comunitárias, que têm tido mto sucesso. Como eu estou na aldeia que fica a 10 km, optei por ter a minha, embora n seja verdadeiramente uma horta, pois so tenho plantas aromaticas! mas adoro poder chegar ali e temperar a comoda com ervinhas de qualidade! a última aquisição foi hortelã-chocolate – conheces? fica optima no cappuccino :)

    1. Não sabia! Isso é genial :) tens que me mandar fotos do teu cantinho verde :) Sim, eu acho que também vou começar pelas ervas aromáticas…agora hortelã chocolate?? a sério?? Onde é que arranjaste isso? Conta-me tudo! Beijinhos PS-não sabia que tb tinhas um blog :) vou adicionar à lista!

  2. […] da visita à horta comunitária? E da decisão de começar uma mini-horta na […]

  3. […] Lembram-se das dúvidas existenciais sobre ter ou não um espacinho para nós na Horta Comunitária aqui do bairro?… […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Amsterdive

Amsterdam based actress hosts you into her own amster-dive

Anas há muitas

Mãe, mas Mulher. Aqui escrevo sobre a fantástica experiência da maternidade, os meus cozinhados, os textos da minha autoria, e a minha área de formação – saúde.

THE GIRL WITH SILVER HAIR

THE GIRL WITH SILVER HAIR

agora digo eu

Porque às vezes me apetece dizer com os dedos para que me ouçam com os olhos!

Diário de Prato

Compartilhando o que eu ando fazendo e comendo de gostoso por aqui.

A Limonada da Vida

Uma Portuguesa na Holanda

almanaque silva

histórias da ilustração portuguesa

Marianne Beerten

Onroerend goed en Geiten in Portugal

Contador D'Estórias

Narrativas, poemas, músicas, um blog com estórias dentro.

Desbravando Madrid

Curiosidades e dicas sobre a cidade de Madrid

Life's Textures

Notes and tips about (my) life

By Catarina

Writing With a Global Mindset

laplandalltheway

Adventures of a Portuguese girl in Lapland

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

The Frustrated Gardener

The life and loves of a time-poor plantsman

Heidiland

Uma Portuguesa na Holanda

The Kitchen Crashers

Seda ve Hakan’ın Mutfak, Seyahat ve Fotoğraf Maceraları…

%d bloggers like this: