La Trappe: a abençoada cerveja Holandesa

Existem 11 marcas no mundo que podem chamar à sua cerveja “Trappist“. Uma delas está na Holanda e chama-se La Trappe. Existe apenas outra cerveja Trappist na Holanda que se chama Zundert, sendo que a grande maioria tem produção na Bélgica.

  
E o que é preciso acontecer para uma cerveja se chamar Trappist? Três coisas:

  1. ser feita dentro das paredes de uma abadia de uma ordem monástica Trapista;
  2. sob a orientação directa dos monges; e
  3. os lucros servirem para o sustento da ordem e o remanescente ser distribuído para uma boa causa.

Este fim-de-semana, fomos passear até à cidade de Tilburg e pedálamos até à Abadia de Onze Lieve Vrouw van Koningshoeven para ver como se faz e provar in loco, esta cerveja feita por monges.

Conseguimos entrar num grupo de uma visita guiada, mesmo sem termos reservado dois lugares, o que foi uma sorte, mas que acabou por resultar bem. Um guia Holandês super simpático e bem disposto levou-nos pelos recantos da produção da La Trappe e pela história desta ordem religiosa.

Trapista é um “apelido” da “Ordem Cisterciense da Estrita Observância”.  Este apelido nasceu do facto de que primeiro mosteiro desta ordem foi a Abadia de La Trappe em França, de onde mais tarde se espalhou a congregação de religiosos para outros locais.



Na Holanda, a cerveja é feita desde o século XIX até aos dias de hoje, quando um conjunto de monges foi forçado a sair do mosteiro em França, e observando a regra “Ora et Labora“, de auto sustentabilidade do seu trabalho e austeridade, começaram a produzir e a vender cerveja. Hoje em dia vivem 22 monges nesta Abadia.

A La Trappe é uma cerveja que se pode encontrar um pouco por toda a Holanda, desde bares a supermercados, mas que comparativamente com as grandes marcas comerciais produz pouco.

Não conhecia a história da cerveja Trappist, mas certamente que depois de 45 minutos a passear e a ouvir as histórias dos diferentes espaços da Abadia, o copo de cerveja que nos ofereceram no fim soube a mel!

Podia-se escolher de todos os tipos de La Trappe que são produzidos. Acabámos por escolher a cerveja branca, uma vez que é a única “cerveja branca trappist“ que existe no mundo, uma vez que mais nenhuma das Abadias no mundo a produz.

  
O nosso guia fez por várias vezes a piada, que beber um copo de La Trappe ao final do dia não só contribuiu para o nosso relaxamento, mas também ajuda uma boa causa e a preservação de uma tradição, portanto estejam seguros que beber uma cerveja La Trappe é sinónimo de experiência totalmente guilt free/ sem remorsos possíveis.

A envolvente da Abadia também é muito bonita e vale a pena ser apreciada. A abadia propõe vários tours de bicicleta a partir da abadia que passam em bosques e cafés e que vendem seguramente La Trappe :)

  
Como visitar? Toda a informação necessária aqui!

Anúncios

10 comentários

  1. Muito interessante! Realmente, ao ler estes posts, apercebo-me que vivo aqui na Bélgica há três anos, mesmo na fronteira com a Holanda, e não conheço quase nada de nenhum dos países!

    1. Tenho a certeza que conheces muitaaaasss coisa das Bélgica e arredores, mas se calhar já te habituaste a elas, e não te parecem grande novidade :)

      1. Olha que não, viajo muito pouco! Mas quero ver se mudo isso! :)

  2. Agora dá vontade de ir a Tilburg fazer uma visita :D

  3. Adorei a dica, vou lá fazer esse passeio!

    1. Eu aconselho! Sobretudo num dia ameno com algum sol, porque as redondezas são muito bonitas!

  4. Que ótimo relato! Viistei a La Trappe em agosto e adorei, pena que não cheguei a tempo da visita! Vou contar no meu blog como foi também! Abraços.

    1. Olá Paulo! Vou ter mais umas propostas brevemente. O blog está um pouco parado, mas espero sempre recomecar e força! Vou espreitar o seu blog ;)

  5. INEZ PESSOA DORIA · · Responder

    Boa tarde, estou no Rio, viajei algumas vezes, mas ainda não Holanda nem Belgica. Gostaria muito de conhecer não somente o local, monges patrióticos. Mas tb suas cervejas.. .uma vez ganhei apenas uma, gostei muito. Gostaria de saber onde encontro aqui no Brasil ou me s lo como faço, site, email para compra las ai do Mosteiro? Via internet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Amsterdive

Amsterdam based actress hosts you into her own amster-dive

Anas há muitas

Mãe, mas Mulher. Aqui escrevo sobre a fantástica experiência da maternidade, os meus cozinhados, os textos da minha autoria, e a minha área de formação – saúde.

THE GIRL WITH SILVER HAIR

THE GIRL WITH SILVER HAIR

agora digo eu

Porque às vezes me apetece dizer com os dedos para que me ouçam com os olhos!

Diário de Prato

Compartilhando o que eu ando fazendo e comendo de gostoso por aqui.

A Limonada da Vida

Uma Portuguesa na Holanda

almanaque silva

histórias da ilustração portuguesa

Marianne Beerten

Onroerend goed en Geiten in Portugal

Contador D'Estórias

Narrativas, poemas, músicas, um blog com estórias dentro.

Desbravando Madrid

Curiosidades e dicas sobre a cidade de Madrid

Life's Textures

Notes and tips about (my) life

By Catarina

Writing With a Global Mindset

laplandalltheway

Adventures of a Portuguese girl in Lapland

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

The Frustrated Gardener

The life and loves of a time-poor plantsman

Heidiland

Uma Portuguesa na Holanda

The Kitchen Crashers

Seda ve Hakan’ın Mutfak, Seyahat ve Fotoğraf Maceraları…

%d bloggers like this: