Vrijmarkt do dia do Rei com gostinho a Portugal

O ano passado também passámos o último da Rainha em Utrecht. Entre as deambulações próprias do dia, passámos algum tempo no “vrijmarkt”, ou mercado livre. O antigo dia da Rainha, agora dia do Rei concede aos Holandeses a possibilidade de venderem quinquilharias e outras coisas que se lembrem, sem qualquer custo ou imposto.

O espírito do vrijmarkt é desde cedo passado aos miúdos, que são incentivados a montar os seus próprios negócios por um dia: montar um jogo original, tocar música ou vender os seus antigos brinquedos para ganhar dinheiro. Os adultos geralmente focam-se em vender roupa usada e coisas da casa que já não usam, por preços muito convidativos.

Vrijmarkt

Vrijmarkt

Ora no vrijmarkt do ano passado surgiu a ideia meio maluca de nós próprios vendermos qualquer coisa no Dia do Rei, e ter a a experiência de estar atrás das bancas. Como nunca tivemos uma experiência semelhante, esta ideia parecia muito aventureira. Primeiro pensámos em fazer pasteis de nata e pasteis de bacalhau. A ideia foi crescendo e já nos víamos a vender ginginha em copos de chocolate, quem sabe uns copos de vinho do Porto e montar ali uma festa.

Mas há um mês atrás, descobrimos que oficialmente não é permitido vender bens perecíveis e álcool sem licença no dia do Rei. Obviamente que se vêem muitas pessoas a vender queques e tartes, poffertjes e panquecas, mas essas pessoas são Holandesas e não estrangeiras. Decidimos não arriscar, mas decidimos não desistir da nossa ideia meio louca de vender coisas Portuguesas no dia do Rei.

Uns amigos que vieram de Portugal, trouxeram-nos a mercadoria de petiscos não perecíveis e tinhamos quase tudo preparado para uma manhã muito animada e divertida (Muito Obrigada!!)

A nossa "banca"!

A nossa “banca”!

Vendemos azeite, piri-piri e conservas. Montámos uma mesa pequenina ao lado de uns amigos Holandeses que iam vender roupa em 2.a mão.

As vendas não correram mal, mas foi toda a interacção com as várias pessoas que pararam no nosso “stand“ que fez experiência valer a pena. Falámos dos produtos, das regiões e de como os utilizamos na nossa cozinha. Ouvimos muito também. E ao ouvir percebemos que não somos só nós, Portugueses emigrados ou expatriados, que temos saudades e gostamos do nosso país.

O "ser" mais assediado da nossa banca

O “ser” mais assediado da nossa banca

Galo de Barcelos assiste a festividades

Galo de Barcelos assiste a festividades

Quantos Holandeses, que ao verem o nosso “stand”, sorriam, paravam e nos vinham falar das suas férias ou da sua casa em Portugal. Outros tiraram fotografias para mandar para a família que vive em Portugal. Outros disseram-nos “A minha mulher é Portuguesa!”. Outros falaram connosco num Português quase perfeito (certamente melhor que o nosso Holandês, que tentámos manter ao longo das nossas conversas). Todos tinham saudade no rosto e por breves momentos partilhámos qualquer coisa juntos. Claro que é uma saudade diferente da minha, e acredito que diferente da saudade de muitos de vocês que passam aqui para ler aqui o blog – a saudade de estrangeiros a viver fora do seu país. Esta que encontramos nos sorrisos dos Holandeses, talvez seja uma saudade de férias, de momentos de felicidade e de liberdade num país tão maravilhoso como Portugal.

Foi divertido e tão enriquecedor (não monetariamente, porque está claro que ninguém faz fortuna a vender azeite e latas de atum numa manhã!). E foi cansativo também, porque tivemos que nos levantar muito cedo para arranjar um lugar no mercado. Mas valeu mesmo a pena! E ainda ficámos com umas latinhas para nós! O azeite e piri-piri esgotou.

Vista para o canal!

Vista para o canal!

E assim foi a nossa manhã do primeiro dia do Rei desde há mais de 100 anos na Holanda. Um dia histórico para a Holanda e para nós! :)

E desse lado, alguém já participou no vrijmarkt do dia da Rainha / Rei ou em algo semelhante? Como foi a vossa experiência?

Anúncios

2 comentários

  1. Que experiência tão interessante :)

  2. […] Este dia do Rei – o dia que celebra o aniversário do Rei e a mais famosa festa Holandesa – foi comparativamente com o ano passado muitoooo calminho. E ainda bem! As vendas do ano passado no mercado livre foram emoções suficientes para algum tempo! […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Amsterdive

Amsterdam based actress hosts you into her own amster-dive

Anas há muitas

Mãe, mas Mulher. Aqui escrevo sobre a fantástica experiência da maternidade, os meus cozinhados, os textos da minha autoria, e a minha área de formação – saúde.

THE GIRL WITH SILVER HAIR

THE GIRL WITH SILVER HAIR

agora digo eu

Porque às vezes me apetece dizer com os dedos para que me ouçam com os olhos!

Diário de Prato

Compartilhando o que eu ando fazendo e comendo de gostoso por aqui.

A Limonada da Vida

Uma Portuguesa na Holanda

almanaque silva

histórias da ilustração portuguesa

Marianne Beerten

Onroerend goed en Geiten in Portugal

Contador D'Estórias

Narrativas, poemas, músicas, um blog com estórias dentro.

Desbravando Madrid

Curiosidades e dicas sobre a cidade de Madrid

Life's Textures

Notes and tips about (my) life

By Catarina

Writing With a Global Mindset

laplandalltheway

Adventures of a Portuguese girl in Lapland

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

The Frustrated Gardener

The life and loves of a time-poor plantsman

Heidiland

Uma Portuguesa na Holanda

The Kitchen Crashers

Seda ve Hakan’ın Mutfak, Seyahat ve Fotoğraf Maceraları…

%d bloggers like this: