Gilde: aprender Holandês à moda antiga

Quando terminei o módulo 1 de Holandês da Volksuniversiteit há uns meses atrás, pensei como é que iria fazer para continuar a minha aprendizagem até ao inicio do novo curso.

Falaram-me de um programa de uma associação de séniores, chamada Gilde, que existe em várias cidades por esta Holanda fora, para estrangeiros aprenderem Holandês. Uns dias depois do curso na Volksuniversiteit terminar, lá fui ao Gilde com uma amiga saber mais sobre este programa e inscrever-me.

IMG_2234[1]

Fomos muito bem recebidas e convidadas a tomar um cházinho, enquanto nos explicavam o funcionamento do programa e nos faziam um pequeno questionário em Holandês para perceberem o nosso nível. Escusado será dizer que o meu nível é o mais rasteirinho que anda por aí, mas consegui safar-me na altura a responder a todas as perguntas num estilo muito “Eu Tarzan, Tu Jane”.

O programa do Gilde é baseado no trabalho de voluntários, sobretudo professores de línguas ou educadores reformados, que disponibilizam o seu tempo para ajudar estrangeiros a aprender Holandês através da conversação. Paga-se uma inscrição de cerca de 15 euros, temos que nos dirigir a casa do voluntário nas datas acordadas, e muito importante não nos podemos atrasar ou faltar (com risco de sermos excluídos do programa). Uma nota importante: é o voluntário que escolhe os seus formandos baseado no seu perfil, porque afinal está a abrir as portas de sua casa a um estranho.

A primeira surpresa surgiu quando nos disseram que havia uns 4 meses de fila de espera! Isso mesmo: 4 meses de fila de espera! Falta de voluntários ou muitos estrangeiros? Ainda estou para perceber…mas sei que depois desta informação, saí do Gilde sem grande esperança de alguma vez me chamarem!

Mas surpresa das surpresas, passados os quase 4 meses, há coisa de 1 mês, ligaram-me. Uma voluntária que vive perto da minha casa tinha-me escolhido para ter aulas com ela e queria começar a ter aulas logo nessa semana. Já vou na minha terceira aula com a voluntária que me escolheu, uma professora primária reformada, super amorosa mas ao mesmo tempo super exigente,  só como uma professora primária o sabe ser.

As sessões com ela têm demorado quase duas horas, e começamos sempre com um pouco de conversação, depois pronúncia e depois leitura. Utiliza muitos livros antigos e métodos de aprendizagem também à moda antiga, mas os resultados têm sido bons. Sinto que é muito exigente porque sou forçada mesmo a falar, não há forma de escapar, e digamos que sou do género de pessoas que apanha melhor as línguas na sua vertente escrita do que oral. Mas foi exactamente para isto que eu me alistei.

Saio sempre de casa da minha voluntária com um sentimento de gratidão enorme – pela oportunidade e pela experiência. O Gilde promove uma forma tão inteligente de integração: as pessoas que estão reformadas, mas que têm tanto para dar, continuam a sentir-se úteis e não estão isoladas, e nós, os alvos da “alfabetização”, estamos em contacto com a língua e com outra geração.

É genial e acho que poderia ser implementado para outros tipos de aprendizagens. Temos todos tanto a aprender uns com os outros! Não sei se com isto vou finalmente conseguir dobrar finalmente a língua Holandesa, mas é sem dúvida mais um passo em frente.

Para quem quiser saber mais sobre o Gilde pode consultar aqui os links para algumas cidades: Amsterdam, Utrecht, Den Haag, Rotterdam.

Anúncios

10 comentários

  1. Luís Santos · · Responder

    Muito bom mesmo. Tenho a certeza que o teu nível de holandês não assim tão medíocre como dizes ser :).

  2. nuno lopes · · Responder

    Engracado!!!
    Eu estou aqui pelas holandas faz precisamente este mes 4 anos. A cerca de 2 anos atras passei pelo mesmo processo. Eu por sorte nao tive de esperar tanto tempo. Esperei apenas uma semana, pois a vrijwilliger com quem tive as minhas secçoes tambem queria aprender portugues… :)
    Passei 1 ano com ela e foi com ela que a ganhei a confiança de enfrentar as pessoas na rua, lojas, etc com a lingua, pois como a pronuncia é muito complicada e soa a nada, leva-nos a puxar de imediato o ingles, o que é um grande erro para quem esta a aprender holandes.
    Passados 4 anos ainda tenho situaçoes em que sou levado para o ingles, em situaçoe mais serias como a ida ao medico por exemplo, mas grande parte das vezes ja me expresso em holandes, percebendo e sendo percebido, o que tb é importante, pois era o que mais irritava quando eles vinham constantemente com o “wat zeg je?!!”
    Nao sei á quanto tempo esta aqui por estes lados, nem se vem por muito tempo, mas desejo-lhe tudo de bom nesta aprendizagem de lingua que parece um bicho de 7 cabecas mas que com o tempo tudo vai ficando mais claro.

    1. Muito obrigada Nuno!!! Estou cá desde Janeiro (8 meses ainda é pouco tempo) mas tentei começar a aprender logo que possivel. Faz-me alguma confusão ter que passar sempre para Inglês e gostava de ter o Holandês suficiente para me safar nas coisas do dia-a-dia e ler. Mas realmente parece um bicho de 7 cabeças e é preciso persistência, porque um dia parece que fiz alguma evolução e percebo alguma coisa que me dizem, e no dia seguintem não percebo uma pergunta básica no supermercado do tipo “Quer um talão?” lol muito obrigada pela força!!!

  3. Boas noites:) Adoro teu blog. Tal como tu até à guilde já fui(sempre simpáticas aquelas senhoras ..eu até lhes chamo Barbies) mas para elas meu holandês é muito básico ainda para elas me puderem ensinar algo, mas até me arranjaram uma marcação no Radius, também voluntariado, em setembro lá vou eu, ao Idoe também já fui,mas acho que onde vou aprender Holandês é num asilo de cães como voluntária,estou com muitas esperanças que os lindos animais digam Bedank, e outras coisinhas…mas fora ironia, eu até trabalho e não tenho dificuldade em entender os simpa´ticos holandeses …falta um pouco a coragem para falar o pouco que sei….quando tento só saem palavras em inglês e tal como tu estou cansada da lingua de sua majestade….Saúde e sorrisos para voçês

    1. Obrigada Ana! Que bom ler comentários assim logo pela manhã. Não conheço nem a Radius nem o Idoe! é o mesmo conceito? Uau! Vais fazer voluntariado com animais? Que bom! Em Portugal também estava a passear cães numa associação. Acho que pode ser uma boa oportunidade para interagires com outros voluntários e tentar o Holandês! Beijinhos grandes

  4. Olá
    Sim acho que é o mesmo conceito, e hoje também tive uma boa noticia, o Idoe arranjou uma senhora voluntária também, eu ensino-lhe a nossa lingua e em troca ela ensina-me Holandês. É sempre muito positivo e a nossa lingua também é dificil, talvez mais que o Holandês ehhehehe estou muito feliz,as coisas estão indo bem por aqui na Holanda, às vezes temos de ser pacientes e lutar pelo que queremos. Estou feliz:)
    Beijinhos e continua com este blog tão giro

    1. Ora que bom! :) É este site: http://www.i-doe.nl/ ? (acho que só há em Leiden….) beijinhos e boa sorte com esta nova fase de aprendizagem da língua! ;)

      PS – depois tens que me contar como está a ser a experiência

  5. Ola!!! Obrigado pelo comentário no nosso blog (http://loveadventurehappiness.blogspot.nl/) Também gostamos muito do teu blog e gostaríamos de fazer uma parceria entre blogs, o que dizes? Eu já coloquei o link do teu blog no meu ;)

    1. Já vos estou a seguir ;)

  6. […] A minha voluntária de conversação de língua Holandesa, perguntou-me ontem em Holandês, “Sabes que Dia é Hoje?”. Prontíssima para responder “Sei, sim senhora! é Dia das Bruxas!”, mesmo antes de conseguir articular a primeira palavra em Holandês, ouvi logo a resposta entusiasta “Hoje é Dia da Reforma!”. […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Amsterdive

Amsterdam based actress hosts you into her personal amster-dive

Anas há muitas

Mãe, mas Mulher. Aqui escrevo sobre a fantástica experiência da maternidade, os meus cozinhados, os textos da minha autoria, e a minha área de formação – saúde.

THE GIRL WITH SILVER HAIR

THE GIRL WITH SILVER HAIR

agora digo eu

Porque às vezes me apetece dizer com os dedos para que me ouçam com os olhos!

Diário de Prato

Compartilhando o que eu ando fazendo e comendo de gostoso por aqui.

A Limonada da Vida

Uma Portuguesa na Holanda

almanaque silva

histórias da ilustração portuguesa

Marianne Beerten

Onroerend goed en Geiten in Portugal

Contador D'Estórias

Narrativas, poemas, músicas, um blog com estórias dentro.

Desbravando Madrid

Curiosidades e dicas sobre a cidade de Madrid

Life's Textures

Notes and tips about (my) life

By Catarina

Writing With a Global Mindset

laplandalltheway

Adventures of a Portuguese girl in Lapland

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

The Frustrated Gardener

The life and loves of a time-poor plantsman

Heidiland

Uma Portuguesa na Holanda

The Kitchen Crashers

Seda ve Hakan’ın Mutfak, Seyahat ve Fotoğraf Maceraları…

%d bloggers like this: