Visitar o Rijksmuseum pela primeira vez

O Rijksmuseum é o Louvre da Holanda.  Em Maio deste ano, após 10 anos de restauro abriu com toda a pompa e circunstância,  e agora compete de forma mais vigorosa com os museus mais importantes da Europa, tanto em beleza como na importância da colecção. É casa  de obras de Rembrandt, Vermeer e Van Gogh e outros tantos pintores holandeses conhecidos.

IMG_1848[1]

Desde que cheguei à Holanda que tinha vontade em ir visitá-lo, mas face à eminência da grande reabertura,  fui sempre adiando para uma próxima vez. Este fim-de-semana não deixámos escapar a oportunidade e lá fomos nós passear a Amsterdam.

Comprámos os bilhetes para o museu com audio guia incluído pela internet, e na realidade aconselho a qualquer pessoa que venha visitar museus aqui que veja sempre antes pela net se há opção de comprar online, isto porque assim evitam possíveis filas e a entrada é quase directa. Os bilhetes para o Rijksmuseum não são de todo baratos, mas ficaram mais em conta com um desconto a que tínhamos direito de 50%.  Vale a pena verificar sempre os descontos dos museus, porque há boas opções que tornam bastante mais em conta este programa.

Apesar de ser Sábado e do museu estar cheio,  a entrada foi surpreendentemente suave e calma, sem filas nem esperas. O átrio principal  de entrada para o Museu é magnífico e é no fundo o ponto de ligação entre os vários pisos e as várias colecções. É também ali que se podem levantar os audio-guias e pedir orientações sobre como encontrar pontos particulares do museu.

IMG_1834[1]

Apesar de não terem audio-guias em Português, foi uma agradável surpresa descobrimos que o audio-guia do Rijks é mais do que um simples explicador das obras que vamos vendo aleatoriamente ao longo do museu. O sistema de audio-guias do Rijksmuseum oferece ao visitante uma aplicação que conforme o tempo que se quer ficar no museu e o que quer ver, nos guia literalmente com mapas, instruções e orientações sobre qual obra ver a seguir. Assim, como queríamos ter uma ideia geral das peças mais importantes do museu escolhemos uma visita guiada de 90 minutos chamada “Pontos Principais”.

E esta visita guiada começa pela nata do museu: a colecção de arte Holandesa do século XVII. Nada mais do que o século dourado da Holanda, o tempo das grandes riquezas e dos grandes triunfos de navegação. E essas riquezas exprimiam-se através da arte, que nesse século na Holanda, passou a ser encomendada pela elite da sociedade. É a época de Rembrandt e do seu muito famoso quadro “Night’s Watch” em que o artista pintou a elite de Amsterdam que formava a milícia armada da cidade. De facto esta é a obra mais aclamada e procurada do museu, que ocupa o ponto central de uma ampla galeria, sendo impossível não reparar na horda de pessoas que se junta de volta do quadro.

IMG_1820[1]

É também o período de Vermeer. E aqui estão 3 quadros dele, sendo a “Milk lady”, ou a Rapariga do Leite, um dos mais conhecidos, e que também faz as delícias de muitos dos visitantes. É de facto irónico pensar que Vermeer morreu na miséria e desconhecido, e agora 300 anos depois existe uma multidão de fãs incondicionais da sua técnica depurada e da sua atenção para o detalhe. No post sobre Delft, onde Vermeer é originário, falo um pouco mais sobre a sua obra.

IMG_1817[1]

Depois há quadros surpreendentes. O miúdo gordo foi um dos que mais gostei. O símbolo do novo riquismo, pretensioso e mimado dos jovens nascidos em famílias abastadas nesta altura, que usavam a arte como o símbolo da sua riqueza. Hoje não acontecerá um pouco o mesmo?

IMG_1828[1]

Paisagens Holandesas, embarcações e odes aos descobrimentos holandeses – encontra-se de tudo um pouco nesta época dourada. Obviamente que existem outros períodos históricos muito interessantes neste museu, mas o século XVII é rei e senhor aqui.

IMG_1837[1]

Como gosto muito de arte Oriental, também me deixei ficar algum tempo mais,  na parte da exposição dedicada ao  Japão, Índia e Indonésia, onde os Holandeses desenvolveram ligações comerciais.

Uma das peças em destaque e que mais me impressionou são duas estátuas Japonesas do século XIV que estavam à porta de um templo. Com um porte imponente, cheio de movimento e tensão muscular,  são guardiões da pureza do templo e o seu objectivo é afastar a estupidez  e maus sentimentos de quem entra no templo. Será que funcionava? Se sim, era uma boa ideia espalhar estátuas destas por aí…

IMG_1844[1]

Neste ponto exacto, entre estas duas estátuas, a nossa visita guiada áudio terminou.

E logo ali ficamos com a impressão de que se trata de uma visita muito bem estruturada, e apesar de termos deixado para trás imensas obras do museu, pareceu-nos uma excelente introdução Rijksmuseum. Afinal se quiséssemos ver tudo só sairíamos de lá passado uma semana! Existem outras visitas no guia áudio que também devem valer a pena (umas mais longas  e outras mais curtas), que focam não só arte nas paredes, mas na própria arte de construção do edifício que é a casa a este museu.  A explorar talvez noutra oportunidade.

E vocês, já foram ao Rijksmuseum? Impressões? Quais foram as obras ou pintores que mais vos marcaram?

A quem não foi aconselho vivamente que um dia possam lá passar e podem ter toda a informação que precisam exactamente aqui.

Há mais no facebook: https://www.facebook.com/EspressoAndStroopwafel

Anúncios

2 comentários

  1. […] de Utrecht. Muitos dos quadros deles podem ser vistos no Museu Centraal de Utrecht ou no Rijksmuseum, mas até hoje não lhes tinha prestado atenção […]

  2. […] foi entregue ao arquitecto Holandês Pierre Cuypers, muito em voga na altura por ter desenhado o Rijksmuseum e a estação Central de Amsterdam. A restauração do Castelo de Haar começou em 1892 e durou 20 […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Amsterdive

Amsterdam based actress hosts you into her own amster-dive

Anas há muitas

Mãe, mas Mulher. Aqui escrevo sobre a fantástica experiência da maternidade, os meus cozinhados, os textos da minha autoria, e a minha área de formação – saúde.

THE GIRL WITH SILVER HAIR

THE GIRL WITH SILVER HAIR

agora digo eu

Porque às vezes me apetece dizer com os dedos para que me ouçam com os olhos!

Diário de Prato

Compartilhando o que eu ando fazendo e comendo de gostoso por aqui.

A Limonada da Vida

Uma Portuguesa na Holanda

almanaque silva

histórias da ilustração portuguesa

Marianne Beerten

Onroerend goed en Geiten in Portugal

Contador D'Estórias

Narrativas, poemas, músicas, um blog com estórias dentro.

Desbravando Madrid

Curiosidades e dicas sobre a cidade de Madrid

Life's Textures

Notes and tips about (my) life

By Catarina

Writing With a Global Mindset

laplandalltheway

Adventures of a Portuguese girl in Lapland

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

The Frustrated Gardener

The life and loves of a time-poor plantsman

Heidiland

Uma Portuguesa na Holanda

The Kitchen Crashers

Seda ve Hakan’ın Mutfak, Seyahat ve Fotoğraf Maceraları…

%d bloggers like this: