Win Win*

Win/Win (2010), Holanda

Realização / Argumento: Jaap van Heusden
Actor principal: Oscar Van Rompay (Ivan)
Actores secundários: Halina Reijn (Deniz), Leon Voorberg (Stef), Hans Kesting (Max), Phi Nguyen (Paul).
Prémios: Melhor Actor (Brooklyn International Film Festival 2010), Melhor argumento (Prix Europa 2010)

win-win4

Imaginem que são um trader júnior que finalmente consegue ser promovido. Com as novas funções começam a ter insónias crescentes, seduzem a empregada da recepção e acabam por estar envolvidos directamente no suicídio de um colega. Benvindos a Zuidas, o centro financeiro da Holanda. E à vida de Ivan, um geek belga que aparentemente não sabe lidar com o sucesso.

Mas a estória é normalmente o que tem menos para contar. Aqui foi a porta de entrada para um conto sobre a alienação. Alienação crescente de nós mesmos quando nos esquecemos de quem somos à medida que caminhamos focados apenas no “sucesso”. Alienação também de um país chamado Holanda, formado por realidades paralelas que não comunicam entre si e que Ivan teima em transpôr, seja num café turco onde joga gamão, ou no seu apartamento ultra-estilizado esvaziado de humanidade.

O combate de Ivan com a ansiedade e insónia, amigas da alienação, leva-nos também para a noite escura de Amesterdão, para o Bairro Vermelho, para grupos religiosos, grupos de apoio a viciados em jogo e casas para sem-abrigo. Caminha descalço ao lado de lunáticos nocturnos, como que entre os seus. Chega até, imaginem, a telefonar à sua avó – e todos sabemos que o derradeiro remédio são as nossas avós. No entanto, isso não bastou.

Já no rescaldo do suicídio do seu colega asiático de quem se tentou aproximar, e ainda a fazer fortunas para a empresa como sénior, despediu-se. Nos dias de hoje, também não seria o mais sensato. Lose / lose?

Esta alienação crescente de Ivan à medida que cresce para cargos mais sérios na empresa foi sem dúvida o que o realizador, Jaap van Heusden, sentiu quanto teve de escolher entre seguir Gestão ou Cinema na Faculdade há poucos anos atrás. Tanto para Jaap como para Oscar Van Rompay – o nosso Ivan – esta foi a primeira longa-metragem. Na casa dos 35, representam a nova geração do cinema holandês.

Como novatos, rodearam-se de actores mais experientes nos papéis secundários, como a já celebrada Halina Reijn , a recepcionista desejada, tornando o filme mais sólido e apimentando-o ao mesmo tempo, reforçando a ideia feita de que há sempre pelo menos uma mulher nua num filme holandês. O leque ficou completo com Leon Voorberg (o primeiro chefe) e Hans Kesting (o chefe dos chefes), ambos igualmente com carreira firmada. De notar que a maior parte destes actores vêm da escola de cinema de Maastricht no sul da Holanda e pelo facto de o actor principal ser belga (talvez para aumentar a sua alienação apesar de falar a mesma língua que os holandeses) arrisco-me também a afirmar que na verdade existe um cluster Holandês-Belga de cinema que irá crescer nos próximos anos. A língua e as afinidades históricas tratarão do resto.

win-win2

Na abertura de Win / Win surgem os seus maiores trunfos: a banda sonora de Minco Eggersman e a cinematografia fresca e cuidada de um jovem cineasta que nos fazem sorrir instantaneamente e mais tarde sentir a textura de um tapete na casa de Ivan quando caminha descalço ou até o cheiro a cerveja e cigarros das ruas da insónia em Amesterdão. O trabalho de câmara e a edição estão focados e adaptam-se ao que a personagem experiência.

win-win5

Este bom gosto cinematográfico e versatilidade são conseguidos porque o filme, tal como o protagonista, nunca se levam muito a sério. Ivan gosta do que faz e como uma criança grande segue as suas pulsões: brinca com a matemática do dia-a-dia desde fazer milhões na bolsa até a jogar à macaca no passeio. Mas por outro lado, repudia a recepcionista como um brinquedo velho depois de a conquistar, comete todos os erros com o aumento da responsabilidade dando o exemplo de como ter um esgotamento em poucos meses e também escolhe prejudicar a empresa que o promoveu para que o despeçam. Mas não a consegue afundar talvez por ter sorte de principiante.

Talvez Jaap van Heusden também tenha tido sorte de principiante ao fazer um filme tão equilibrado como primeira longa-metragem, mas isso só o tempo dirá. Vale a pena manter debaixo de olho este jovem realizador de Utrecht que esperemos que saiba lidar com o sucesso melhor que Ivan.

Win / Win é um filme artisticamente bem conseguido, faltando talvez um argumento mais apurado e teria pontuação máxima. Sendo assim é um saboroso Queijo Gouda, bem acompanhado a mostarda que é assim que se quer.

Trailer: http://www.imdb.com/video/wab/vi4228383769/

Cotação Video Club Amsterdam (5 é a pontuação máxima!)

1 – Zwart-Wit Dropjes

2- Stampot

3- Bitterbalen

4 – Queijo Gouda

5 – Espresso and Stroopwafel

*) Este texto não foi escrito pela Portuguesa na Holanda do costume, mas sim por um atento leitor do Blog também ele um Português na Holanda! Obrigada!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Amsterdive

Amsterdam based actress hosts you into her own amster-dive

Anas há muitas

Mãe, mas Mulher. Aqui escrevo sobre a fantástica experiência da maternidade, os meus cozinhados, os textos da minha autoria, e a minha área de formação – saúde.

THE GIRL WITH SILVER HAIR

THE GIRL WITH SILVER HAIR

agora digo eu

Porque às vezes me apetece dizer com os dedos para que me ouçam com os olhos!

Diário de Prato

Compartilhando o que eu ando fazendo e comendo de gostoso por aqui.

A Limonada da Vida

Uma Portuguesa na Holanda

almanaque silva

histórias da ilustração portuguesa

Marianne Beerten

Onroerend goed en Geiten in Portugal

Contador D'Estórias

Narrativas, poemas, músicas, um blog com estórias dentro.

Desbravando Madrid

Curiosidades e dicas sobre a cidade de Madrid

Life's Textures

Notes and tips about (my) life

By Catarina

Writing With a Global Mindset

laplandalltheway

Adventures of a Portuguese girl in Lapland

o meu sofá cinzento

espaço reservado a desabafos tipo assim um bocadinho "crazy" "or not"

The Frustrated Gardener

The life and loves of a time-poor plantsman

Heidiland

Uma Portuguesa na Holanda

The Kitchen Crashers

Seda ve Hakan’ın Mutfak, Seyahat ve Fotoğraf Maceraları…

%d bloggers like this: